A Polinésia de Paul Gauguin e suas ilhas paradisíacas

08/08/2016 0 Por adminlou

Penso que para o viajante a viagem tem três momentos distintos:

poli32
A espera: o sonho, a expectativa a preparação.
A chegada: a realização, o encantamento, os desconfortos, as descobertas, andar, andar e mais andar, registrar e documentar.
A volta: as lembranças, o devaneio nas fotos, cada qual com sua história, nostalgia e alegria por mais uma conquista.

gauguin2Paul Gauguin – Duas taitianas com flores de manga

Cada lugar com suas peculiaridades, suas características próprias…

Tahiti & Polinésia Francesa, situada no meio do pacifico sul, bem mais conhecida pelas ilhas paradisíacas, Morea, Bora Bora, Tetiaroa…. Um lugar mágico, uma experiência única. Porém, em mim ficou na memória as pinturas de Paul Gauguin.

Andar por lugares onde não há turistas é perceber pinturas vivas, Gauguin está lá. Em seu penoso exercício de liberdade Gauguin deixa Paris (1891) rumo ao Tahiti numa busca sincera e vivida daquilo que ele chamou “a grande realidade fundamental: a natureza”.

Pintou a natureza, as mulheres, o colorido do povo nativo. Suas telas coloridas e quentes inspiram amor, ternura, mas também solidão. Uma vida torturada e sofrida, doente sifilítico. Aliás, ao que tudo indica, foi ele quem levou a doença para lá.

Morreu nas Ilhas Marquesas em 1903. Seu legado de magistral pintor está em suas pinturas espalhadas pelos melhores museus do mundo, a grande maioria na França, menos no Thaiti. Que ironia.

Em Papeete,capital do Tahiti existe um pseudo museu Gauguin, com algumas reproduções mal feitas sobre a obra dele e nem um original. Bizarro eu diria. Voilá, Gauguin permanece.

É olhar as pessoas e a natureza e ver pintura, conforme as minhas fotos justapostas as pinturas de Gauguin.

Incrível não?

poli2

PolinesiaPaul Gauguin – Mulheres de Taiti na praia